top of page
  • Foto do escritorEquipe Thrive

O que é e como investir no tesouro direto?




Quando se trata de investir dinheiro, é importante conhecer as diversas opções disponíveis no mercado e entender as particularidades de cada uma delas. Uma dessas alternativas é o tesouro direto, que tem se tornado cada vez mais popular entre os investidores brasileiros. Neste artigo, vamos explicar o que é o tesouro direto e como investir nessa modalidade.


O que é o tesouro direto?


O tesouro direto é uma forma de investimento em títulos públicos, ou seja, em dívidas emitidas pelo governo federal. Esses títulos são vendidos para financiar as atividades do governo e podem ser adquiridos por qualquer pessoa física e jurídica.


História do tesouro direto


O tesouro direto foi criado em 2002 com o objetivo de democratizar o acesso aos títulos públicos federais, antes restrito apenas a grandes investidores e instituições financeiras. Com a criação do tesouro direto, qualquer pessoa pode investir em títulos públicos diretamente pela internet, por meio de uma corretora.


Características do tesouro direto


Uma das principais características do tesouro direto é a sua segurança, pois os títulos são emitidos pelo governo federal, que é considerado um bom pagador. Além disso, os títulos possuem uma rentabilidade previsível, o que permite ao investidor saber exatamente quanto vai receber no vencimento do título. Outra vantagem é a liquidez, já que os títulos podem ser vendidos a qualquer momento.


Vantagens do tesouro direto


a. Segurança


Como mencionado anteriormente, os títulos do tesouro direto são emitidos pelo governo federal, que é considerado um bom pagador. Isso significa que o risco de calote é baixo e, consequentemente, o investimento é considerado seguro.


b. Rentabilidade


Os títulos do tesouro direto possuem uma rentabilidade prefixadas e pósfixadas. Quando falamos em taxas prefixadas, significa que o investidor sabe exatamente quanto vai receber no vencimento do título, enquanto ele for detentor do papel. No que diz respeito às taxas pósfixadas, alguns títulos serão remunerados por um indicador de inflação ou taxas de juros. Neste caso, os papéis pósfixados emitidos pelo governo são corrigidos pelo IPCA e pela SELIC. Além disso, a rentabilidade costuma ser superior à da poupança e de outros investimentos de renda fixa, mas é sempre importante verificar as condições de mercado.


c. Liquidez


Os títulos do tesouro direto possuem alta liquidez, o que significa que é possível resgatar o investimento a qualquer momento. No entanto, é importante avaliar as taxas envolvidas no resgate antecipado, que podem reduzir a rentabilidade do investimento. Além disso, é importante lembrar que a liquidez pode variar de acordo com o tipo de título.


Tipos de títulos do tesouro direto


Existem quatro tipos de títulos do tesouro direto: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado, Tesouro IPCA e Tesouro Renda+.


a. Tesouro Selic


O Tesouro Selic é um título pós-fixado, ou seja, a sua rentabilidade está diretamente ligada à taxa Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira. Esse título é indicado para investidores que desejam um investimento com baixo risco e alta liquidez.


b. Tesouro Prefixado


O Tesouro Prefixado é um título cuja rentabilidade é conhecida no momento da compra. Ou seja, o investidor já sabe exatamente quanto vai receber no vencimento do título. Esse título é indicado para investidores que acreditam que a taxa de juros vai cair no futuro, pois assim eles garantem uma rentabilidade maior.


c. Tesouro IPCA


O Tesouro IPCA é um título que possui uma rentabilidade fixa mais a variação da inflação medida pelo IPCA. Esse título é indicado para investidores que desejam proteger o seu dinheiro da inflação e garantir uma rentabilidade real.


d. Tesouro Renda+


É o novo título do tesouro direto, criado pelo decreto 11.301/2022 e disponibilizado para os investidores a partir de 30 de janeiro de 2023. É voltado para investir com o objetivo de complementar a renda na aposentadoria, onde o resgate será efetuado em parcelas em 240 parcelas mensais e sucessivas, garantindo uma renda extra sobre o investimento realizado durante 20 anos.


Como investir no tesouro direto


a. Abrindo uma conta em uma corretora


Para investir no tesouro direto, é necessário abrir uma conta em uma corretora de valores. É importante escolher uma corretora de confiança, que tenha uma boa reputação no mercado. Além disso, é importante verificar quais são as taxas cobradas pela corretora, para avaliar se o investimento vale a pena.


b. Escolhendo o tipo de título


Depois de abrir a conta em uma corretora, o próximo passo é escolher o tipo de título que deseja investir. É importante avaliar o perfil de investidor e as expectativas em relação à economia para escolher o título mais adequado.


c. Realizando a compra


Depois de escolher o tipo de título, é hora de realizar a compra. Esse processo é feito diretamente pelo site da corretora, que irá informar todas as informações necessárias para a compra.


Cuidados ao investir no tesouro direto


a. Conhecer o perfil de investidor


Antes de investir no tesouro direto, é importante conhecer o seu perfil de investidor. Isso significa avaliar qual é o seu objetivo financeiro, o prazo que pretende investir e o seu grau de aversão ao risco.


b. Avaliar os custos e taxas envolvidos


É importante avaliar os custos e taxas envolvidos no investimento no tesouro direto, como a taxa de corretagem e a taxa de custódia. Esses custos podem reduzir a rentabilidade do investimento.


c. Diversificar a carteira de investimentos


O tesouro direto pode ser uma boa opção de investimento, mas é importante diversificar a carteira de investimentos. Isso significa investir em diferentes tipos de investimentos, como ações, fundos imobiliários e renda fixa.


Conclusão


O tesouro direto é uma modalidade de investimento em títulos públicos que tem se tornado cada vez mais popular entre os investidores brasileiros. Essa modalidade possui diversas vantagens, como a segurança, previsibilidade e liquidez.


Para investir no tesouro direto, é necessário conhecer os tipos de títulos disponíveis, escolher uma corretora de confiança, avaliar o perfil de investidor e diversificar a carteira de investimentos. Além disso, é importante avaliar os custos e taxas envolvidos no investimento.


Investir no tesouro direto pode ser uma boa opção para quem busca um investimento de renda fixa com segurança e rentabilidade previsível. No entanto, é importante avaliar as suas expectativas em relação à economia e ao mercado financeiro para escolher o título mais adequado.


Você já investe ou vai investir no Tesouro Direto? Comenta aqui com a gente! Abaixo, deixamos algumas das perguntas mais comuns entre os nossos alunos e alunas, mas caso e tenha tido outra dúvida, fique livre para perguntar.



FAQs


a. O tesouro direto é seguro?

Sim, o tesouro direto é considerado um investimento seguro, já que os títulos são emitidos pelo governo federal, que é considerado um bom pagador.


b. Qual é o prazo de vencimento dos títulos do tesouro direto?

Os títulos do tesouro direto podem ter prazos de vencimento que variam de alguns meses a alguns anos.


c. É possível resgatar o investimento no tesouro direto a qualquer momento?

Sim, é possível resgatar o investimento no tesouro direto a qualquer momento, mas é importante avaliar as taxas envolvidas no resgate antecipado.


d. Qual é a rentabilidade dos títulos do tesouro direto?

A rentabilidade dos títulos do tesouro direto varia de acordo com o tipo de título e o prazo de vencimento.


e. Quais são os custos envolvidos no investimento no tesouro direto?

Os principais custos envolvidos no investimento no tesouro direto são a taxa de corretagem e a taxa de custódia, que são cobradas pela corretora.



Comments


bottom of page